Engajamento de Stakeholders

O engajamento de stakeholders na elaboração de relatórios de sustentabilidade é uma prática consagrada e em difusão nas empresas globais. Cada vez mais analistas de investimento mostram-se interessados em participar desse diálogo. Essas são as principais conclusões da apresentação do jornalista Estevam Pereira durante a primeira reunião do Grupo de Estudos da Report, no dia 24 de junho, na sede da Report, na Vila Olímpia, em São Paulo.

Cerca de 30 pessoas participaram do encontro que reuniu empresas e instituições como ArcelorMittal, Bridgestone, Bradesco, Samarco, HSBC, Natura, Suzano, Comgás, Vale, Veracel e GRI. As próximas reuniões – sempre durante a manhã – se realizarão nos dias 22 de julho, 26 de agosto, 23 de setembro e 21 de outubro.

Priscila Navarrette, da Consultoria Lume, abriu os trabalhos defendendo o desenvolvimento de “uma cultura de diálogo contínuo” com stakeholders, capaz de gerar aprendizado e inovação para as corporações. O fortalecimento dos vínculos das empresas com os stakeholders fortalece a marca e a reputação das organizações. Em síntese, trata-se, conforme a expressão de Michael Porter, de “gerar valor compartilhado para as empresas e para a sociedade”, ressaltou Navarrette.

A Report Comunicação mostrou que 208 empresas já aderiram à norma AA1000, da consultora inglesa Accountability, que orienta as corporações a incorporarem as demandas dos stakeholders na estratégia empresarial, pela via do engajamento. Diversos meios e formas de promoção do diálogo com stakeholders foram apresentados, segundo as práticas de empresas como AstraZeneca, BP, British Gas, Vodafone, Nike, Ford, Coca-Cola, British Telecommunication e Westpac.

Tomas Carmona, da Serasa, mostrou como a empresa brasileira de informações financeiras vem promovendo com sucesso o engajamento e o diálogo com os stakeholders há cinco anos. Segundo Carmona, a prática “trouxe credibilidade para o nosso Relatório de Sustentabilidade”. Para tanto, “a cultura de processos, fortemente enraizada na Serasa”, ajudou a implantação do diálogo. No último relatório anual, 195 stakeholders participaram da consulta, entre fornecedores, clientes, colaboradores, universidades, organizações do Terceiro Setor, jornalistas e acionistas.

Como construir uma “matriz de materialidade” – uma ferramenta de confluência de interesses entre os stakeholders e as empresas – é o tema da próxima reunião do Grupo de Estudos Report, no dia 22 de julho. A participação está aberta a todos os clientes da Report.

(Ricardo Arnt)

Anúncios
Esse post foi publicado em Conceitos básicos e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s