Novos conceitos nos canteiros

Nos dias 4 e 5 de setembro foi realizado, em São Paulo, o 1° Simpósio Brasileiro de Construção Sustentável, promovido pelo Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS). Aproximadamente 550 pessoas, entre profissionais e empresários interessados em conhecer e aplicar boas práticas nas novas edificações, participaram do evento. O universo da construção sustentável foi discutido por convidados do exterior, especialistas brasileiros e representantes governamentais.

Os palestrantes convergiram para a idéia de que é preciso envolver, desde a concepção do projeto, todos os profissionais que participam de um empreendimento – arquitetos, engenheiros e mestres-de-obras. Assim, todos podem contribuir para a redução dos impactos ambientais da construção civil e dos custos na utilização de materiais. “A possibilidade de intervir na sustentabilidade de um edifício é na fase de concepção e de projeto”, disse Luiz Henrique Ceotto, da construtora Tishman Speyer do Brasil e conselheiro do CBCS.

Ceotto afirmou, ainda, que existe tecnologia disponível e viável para um grande avanço na sustentabilidade dos edifícios – e que um edifício será tanto mais sustentável quanto maior for a economia na sua operação (uso de energia e de água, principalmente). “O investimento na sustentabilidade tem que ser pago por essa economia”, completou Ceotto.

Outro destaque do evento foi o lançamento, pelo CBCS, de uma ferramenta on-line (disponível no endereço http://www.cbcs.org.br/) que auxilia na seleção de fornecedores e de materiais para obras.

Também foram palestrantes do simpósio: o ambientalista Fabio Feldmann; a professora Ellen van Bueren, da TU Delft, Holanda; o jornalista André Trigueiro; o professor Roberto Lamberts, da UFSC; a professora Marina Ilha, da Unicamp; o professor Vanderley John, da Poli/USP; Adalberto Veríssimo, do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon); Oded Grajew, presidente do Instituto Ethos; Paulo Lana, da ArcellorMittal Brasil; Artur Quaresma Filho, do SindusCon-SP; Amílcar João Gay Filho, presidente da Abrafac; Milene Sabbag Abla Scala, da AsBEA; o professor Francisco Cardoso, da Poli/USP; e Paulo Itacarambi, vice-presidente do Instituto Ethos.

(Paulo César Pereira)

Anúncios
Esse post foi publicado em Ecocultura. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s