O GP contra as emissões

Ferrari

O Vermelho da Ferrari vai ter um motor verde

Considerada um dos principais laboratórios de pesquisa e desenvolvimento para as montadoras de automóveis, a Fórmula 1, principal categoria do automobilismo mundial, deu início a uma corrida contra as emissões de gases causadores do efeito estufa. A FOTA, Associação de Equipes da F1, criou um programa para reduzir as emissões de CO2 de suas competições em 12% até 2012.

O projeto, realizado pela Trucost, pretende analisar as causas e possibilidades para conseguir atingir essa meta tanto nas corridas quanto nos treinos livres.

“Já tem sido possível reduzir as emissões totais de carbono. Baseados no que já atingimos, antecipamos que até 2012 a Fórmula 1 terá reduzido suas emissões em 12,4% em comparação a 2009”, afirmou Martin Whitmarsh, comandante da Fota e chefe da McLaren, em entrevista para o portal IG.

A associação também pretende adaptar os motores e os câmbios à combustíveis limpos: “a FIA [Federação Internacional de Automobilismo] e a Fota já estão trabalhando juntos para fazer as regras técnicas de 2013, a fim de garantir que motores e câmbios usados na F1 forneçam uma plataforma para o desenvolvimento contínuo de tecnologias destinadas a melhorar a eficiência de combustível”.

Anúncios
Esse post foi publicado em Neurônios a mil e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s